ANALOC-E E A SUA CONTRIBUIÇÂO PARA A EQUOTERAPIA (2)

O ANALOC-E E SUAS APLICAÇÕES NA EQUOTERAPIA (2)

A.P .TOLEDO -,ENGENHEIRO IDEALIZADOR DO PROJETO ANALOC-E ,AUTOR DE ARTIGOS E LIVROS SOBRE SUSTENTAÇÃO E BIOMECÂNICA DA LOCOMOÇÃO DOS EQUINOS.

 

PRÓLOGO:

Os pesquisadores e professores de equoterapia sabiam que o movimento do passo do cavalo produzia um efeito terapêutico para os pacientes de algumas síndromes, devido a um deslocamento tridimensional do centro de gravidade e uma consequente rotação repetitiva da cintura do equitador.

 A ROTAÇÃO DE CINTURA do paciente era o veículo de um estímulo neuro-motor que se propagava pela medula até o cérebro, em frequências da ordem de centenas de estímulos por minuto.  A cada passo a cintura do equitador recebe 4(quatro) rotações, que representam cerca de 200 rotações por minuto para um passo em velocidade próxima de 5 (cinco) k/h.

Mas, afinal como saber quantos graus representavam cada rotação de cintura em cada cavalo? Como medir a rotação de cintura para relacionar o efeito e a causa?

O ANALOC-E   E   A EQUOTERAPIA:

Os estudos da biomecânica da locomoção dos equídeos mostram que a passada é constituída de dois movimentos parciais (passos) do mesmo locomotor quando o corpo do animal avança.

O locomotor direito, por exemplo, avança para iniciar o passo e a ponta da anca direita avança também, acompanhando a rotação do conjunto formado pela estrutura óssea da garupa.  Em seguida o posterior esquerdo avança e acontece o mesmo com a anca esquerda que avança e causa a rotação da garupa em sentido contrário. Novamente, o posterior direito avança para completar a passada, seguido depois pelo posterior esquerdo. Assim, numa passada temos 4 rotações de cintura.

O ANALOC-E fornece o comprimento da passada pelo parâmetro RENDIMENTO em metros e, ainda a velocidade do animal em k/h.

Durante a passada temos dois passos (deslocamentos) de cada posterior, cada um com metade do comprimento da passada.

Com a medida da largura da garupa do animal foi possível calcular, matematicamente, a rotação produzida no conjunto da garupa a cada passo (metade da passada).

Constatamos então que a rotação de cintura do paciente era função direta da largura da garupa e do comprimento do passo.

 Um estudo na área da locomoção humana realizado  ao passo, em crianças de mesma idade e estatura, por um grupo de pesquisadores na Europa, apresentou resultados de rotação de cintura próximos de 25 graus, baseados em parâmetros semelhantes de largura de cintura, comprimento do passo e velocidade.

Com as medições realizadas nos cavalos de equoterapia da ESALQ constatamos valores próximos, dados pelo passo para a cintura dos pacientes, entre 24 e 25 graus, levando-se em conta que os animais tinham fenótipos muito semelhantes.

Este estudo deu origem a um trabalho científico apresentado pelo grupo de equoterapia da ESALQ, tendo como referência o sistema ANALOC-E, apresentado e muito elogiado no primeiro Congresso Internacional de Equoterapia realizado em Brasília na década de 2000.  

O trabalho com o título: A ROTAÇÃO DE CINTURA EM PACIENTES MONTADOS foi mais uma contribuição para os estudos da equoterapia e, com certeza, uma luz na escuridão até então para este tema.

Pague com
  • PagSeguro
Selos

ADALTON TOLEDO - CPF: 043.433.877-04 © Todos os direitos reservados. 2019